A Prefeitura de São Paulo abriu consulta pública sobre um plano de ação para avançar na inclusão da alimentação orgânica nas escolas da rede municipal, que vai até o dia 09 de outubro.

A partir da lei municipal 16140/2015, a proposta da prefeitura paulistana é tornar obrigatória a inclusão de produtos orgânicos ou de base agroecológica na alimentação escolar, além de priorizar a aquisição desses produtos e permitir que o município pague até 30% a mais em relação ao convencional similar. A lei prevê ainda a criação de um plano de ação para sistematizar como será a inclusão desse tipo de cardápio nas escolas públicas da cidade.

Mais informações aqui.

Aletea Madacki

 

No próximo domingo (19/4), a praça Amadeu Decome, em SP, receberá a turma do FIS 10 e o Movimento Boa Praça, que promoverão um piquenique especial.

Neste semestre, os fisers da inSPira, a 10ª turma da disciplina Formação Integrada para Sustentabilidade, foram desafiados a pensar numa intervenção urbana em espaço público paulistano.

O intuito desse piquenique, que faz parte da programação da macro imersão da turma, é vivenciar a ocupação do espaço e a realidade do local. Por isso, todos que quiserem conhecer a turma e o trabalho do Movimento Boa Praça estão convidados a participar. É só trazer comes e bebes, para contribuir com a vivência do espaço público.

A praça Amadeu Decome fica perto da avenida Cerro Corá, no Alto de Pinheiros, e o piquenique acontecerá das 10h às 13h.

Fernanda Carreira

 

Passada a temporada de chuvas em SP, o alívio foi pouco: mesmo com os reservatórios mais cheios, o volume de água ainda está muito abaixo do desejado e o perigo de desabastecimento continua mais vivo do que nunca, principalmente nos próximos meses, com as estiagens de inverno.

Por isso, a economia de água continua sendo a ordem do dia no Estado de São Paulo. Para que possamos garantir melhores condições hídricas nos próximos meses, precisamos reduzir ainda mais o consumo de água. Os números continuam apontando para um desperdício grande de água no Brasil: o brasileiro consome em média 165 litros de água todos os dias, enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que esse consumo poderia ser mais baixo, entre 50 e 100 litros, o que continuaria atendendo confortavelmente as necessidades diárias de cada pessoa.

E para nos ajudar nesse esforço de redução de consumo e uso mais racional de água, a Aliança pela Água, coalizão de organizações da sociedade civil preocupadas com a segurança hídrica do Brasil, lançou a publicação online Água – Manual de Sobrevivência para a Crise.

Além de dicas para economizar água, o manual ensina também estratégias para sobreviver ao colapso – ou seja, caso a falta de água se prolongue por muito tempo.

Para a Aliança pela Água, a segurança hídrica do país depende de três fatores fundamentais: zerar o desmatamento, despoluir os rios, e recuperar parte da cobertura florestal brasileira, a começar pelas áreas de manancial e margens dos rios. Além disso, o poder público, junto com a sociedade civil, precisa desenhar um planejamento de longo prazo para a gestão da água.

Confira algumas das dicas desse manual para enfrentar a crise hídrica atual:

- armazene a água do chuveiro enquanto ela esquenta e a use para lavar louça e roupas;

- água do banho pode ser utilizada para limpeza da casa, rega de plantas e descarga sanitária;

- escovar dentes com meio copo ou menos;

- alimentos que serão cozidos ou comidos sem casca não precisam passar por esterilização;

- embalagens descartáveis que serão recicladas podem ser limpas com guardanapo sujo ou resto de papel;

- carros podem ser limpos com pano ou bucha úmidos e calçada só com vassoura.

Bruno Toledo (publicado originalmente no blog do Observatório do Clima)

 

Passadas as eleições, a crise hídrica que se agrava em diversos estados se tornou a pauta do momento. Uma das vertentes dessa discussão trata diretamente de como nos adaptaremos às mudanças climáticas.

Na última semana, dois acontecimentos deram o que falar sobre o assunto e trouxeram informações importantes. Da perspectiva do Brasil, houve o lançamento do relatório “O Futuro Climático da Amazônia”, evento que teve apoio do Observatório do Clima. Já no panorama local da Cidade de São Paulo, aconteceu o lançamento da Aliança Água para São Paulo, puxada pelo Instituto Socioambiental, membro do OC, em parceria com outras instituições.

Para entender melhor a questão da água, será lançado esta semana, em São Paulo, o vídeo Água e Cooperação: Reflexões para um Novo Tempo, de João Amorim. O lançamento será na Sala Crisantempo, no dia 7/11, às 20h. Mais informações aqui.

Ricardo Barretto

 

O 1º turno das eleições estaduais e nacionais servirá também como uma oportunidade para a sociedade fazer aquilo que os candidatos em geral menos gostam de fazer: debater.

A Virada Política aproveita o momento das eleições para falar da política que vai além das urnas e que pode ser feita de várias formas por cada um de nós no nosso dia a dia.

Este será um evento aberto, o que significa que você pode tanto inscrever uma atividade dentro da programação que já está planejada quanto criar algo completamente novo. Dentre as atividades previstas, a Virada promoverá uma Feira de Ativismo Político, um espaço para as pessoas mostrarem seus projetos e para inspirar outras pessoas no desbravamento de novos caminhos políticos. Outra atividade é a Urna Limpa, iniciativa que transforma o lixo que é gerado pelos candidatos e seus materiais de campanha em arte ou em renda para quem precisa, além de apontar quais são os candidatos que mais contribuem para a sujeira em nossas cidades durante as eleições.

A Virada Política acontece no Largo da Batata, em Pinheiros (São Paulo/SP), entre os dias 04 e 05 de outubro. Mas você pode promover atividades da Virada em sua cidade. Saiba mais no site.

Leandro Milani

 

A Rede Nossa São Paulo realizará no dia 20 de maio um evento destinado a debater a lei que instituiu a Política de Mudança do Clima do Município de São Paulo, que completa cinco anos de vigência em 2014. O evento acontecerá no Teatro Anchieta, no SESC Consolação (Rua Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque), das 9h30 às 12h30.

A ideia desse debate é realizar um balanço e discutir propostas para acelerar políticas públicas em clima, com o objetivo de atingir as metas previstas. Entre as medidas previstas na Política municipal está a redução do uso de combustíveis fósseis, com meta de, pleo menos, 10% a cada ano, a partir de 2009. De acordo com a lei, em 2018 todos os ônibus do sistema de transporte público do município terão que utilizar combustível renovável não fóssil. Outras medidas previstas são o estímulo ao transporte não motorizado e apoio ao uso da bicicleta, valorização do sistema de transporte coletivo para atrair usuários de automóveis, e a implantação de corredores e faixas exclusivas de ônibus.

Durante o evento, será apresentado um levantamento feito pelo Grupo de Trabalho (GT) Meio Ambiente, da Rede Nossa São Paulo. Em seguida, Délcio Rodrigues, consultor em mudanças climáticas e vice-presidente do Instituto Vitae Civilis, relatará o inventário de emissões de gases de efeito estufa de São Paulo.

O evento deverá contar com a presença do secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Wanderley Meira do Nascimento; do secretário municipal de serviços, Simão Pedro; do secretário municipal do Trabaho, Artur Henrique; dos vereadores Ricardo Young (PPS), Nabil Bonduki (PT), e Gilberto Natalini (PV).

Venha participar dessa discussão! Confirme sua presença pelo e-mail andrea@isps.org.br

Bruno Toledo, com informações da Rede Nossa São Paulo

 

Esta é uma iniciativa inovadora e interessante: The Freecycle Network. Funciona a partir de um grupo de e-mails no qual você pode anunciar a oferta ou demanda de algum produto (por exemplo, móveis e equipamentos). É uma boa alternativa para dar uma segunda vida a coisas que não usamos mais, evitando que sejam descartadas.

Este projeto existe em diversas partes do mundo, inclusive em São Paulo! Clique aqui e saiba mais.

Maíra Bombachini, GVces

 

O esforço da FecomercioSP, Sesc-SP e Senac-SP para alavancar transformações na cidade de São Paulo, visando criar um ambiente de convivência harmônica com melhoria dos espaços, terá uma nova etapa. Dando sequência ao Seminário Internacional de Clusters Criativos e, também, ao lançamento da plataforma colaborativa Sampa CriAtiva, as três entidades irão realizar o Seminário Internacional Sampa CriAtiva, no dia 2 de dezembro.

O encontro reunirá profissionais e projetos de outros Países para promover a troca de experiências e ideias que inspirem a gestão urbana de São Paulo.

Serão escolhidas, até 17 de novembro, as propostas mais impactantes, inovadoras e replicáveis entre as publicadas no espaço colaborativo www.sampacriativa.org.br. As selecionadas serão encaminhadas para os palestrantes do encontro.

O seminário terá transmissão online ao vivo, em português e, também, na língua original da palestra.

As vagas são limitadas e as inscrições gratuitas:

http://www.fecomercio.com.br/?option=com_eventos&view=interna&Itemid=11&id=6997

 

 

O Complicitat é um website que utiliza as tecnologias da web 2.0, geolocalização e redes sociais para estimular a troca de ideias entre cidadãos e entre cidadãos e o governo da cidade de São Paulo.

Estas ideias têm foco na própria cidade, nos acontecimentos cotidianos e nos projetos de lei debatidos na Câmara para aumentar o engajamento do morador de São Paulo nas questões que envolvem a cidade.

Luiza Xavier, GVces

 

Aproveitando as manifestações que ocorrem em São Paulo e pelo Brasil, destacamos duas matérias da Página 22 que ajudam a pensar o assunto:

A ágora de agora
Entrevista com Sérgio Abranches na edição 45

Por que o transporte público merece subsídio
Matéria publicada no blog da redação na Pagina 22

Pagina 22

© 2016 GVces - Coletivo Sustentável Suffusion theme by Sayontan Sinha