Criadores de projetos inovadores em áreas como saúde, educação e meio ambiente, com mais de três anos de atuação e comprovado impacto nas comunidades têm a oportunidade de concorrer ao maior e mais importante prêmio de empreendedorismo social da América Latina. A 11ª edição do Prêmio Empreendedor Social está com inscrições abertas até 17 de maio, pelo site folha.com.br/empreendedorsocial.

O concurso é promovido no Brasil pela Folha de S. Paulo, em parceria com a Fundação Schwab – correalizadora do Fórum Econômico Mundial de Davos e idealizadora da premiação no mundo.

Os líderes sociais que ainda estão iniciando sua caminhada também têm a chance de concorrer ao 7º Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro, dedicado a candidatos com até 35 anos e que comandam iniciativas com um a três anos de atuação. Essa premiação foi criada pela Folha em 2009 e adota os mesmos parâmetros da Schwab para avaliar e contemplar propostas inovadoras que ainda precisam de visibilidade e de capacitação para aumentar sua atuação e influência. As inscrições também são feitas pelo site até 17 de maio.

Ambos os prêmios têm o patrocínio da CNI (Confederação Nacional da Indústria) e contam com parceria estratégica do UOL, Fundação Dom Cabral e ESPM, além de outros 18 parceiros institucionais e de divulgação – entre elas, o GVces.

Adriana Lima

 

 

O arquiteto Claudio Sassaki, 40, e o administrador Eduardo Bontempo, 30, fundadores da Geekie, são os grandes vencedores da edição de 10 anos do Prêmio Empreendedor Social. Eles desenvolveram uma plataforma pioneira, com soluções personalizadas, para melhorar o aprendizado de estudantes da educação básicas das redes pública e privada do país. Fundada há três anos, a Geekie já está em 90% dos municípios brasileiros, atingindo 17 mil escolas. Em 2013, 80% de seus usuários eram do ensino público.

“Tínhamos fortes concorrentes e foi uma surpresa muito boa quando chamaram nosso nome. Esse troféu é o reconhecimento de todo o trabalho duro e da dedicação dos últimos três anos”, comentou Bontempo durante a cerimônia de premiação, realizada no último dia 12. Ele reforçou que o processo de participação no Empreendedor Social serviu como um momento de autorreflexão sobre o trabalho que desenvolvem. Para Claudio Sassaki, o desafio agora é alcançar cada vez mais pessoas, principalmente aquelas que mais precisam. “Esse é um incentivo para continuarmos agindo em direção ao nosso objetivo, que é proporcionar uma educação de qualidade para todos”, destacou.

O publicitário Ronaldo Tenório, 28, o desenvolvedor Carlos Wanderlan, 32, e o arquiteto Thadeu Luz, 31, todos de Maceió (AL), conquistaram a 6ª edição do Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro com o aplicativo gratuito Hand Talk, que traduz em tempo real pequenos textos ou mensagens de áudio, em português, para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Lançado em julho de 2013, ele já foi eleito pela Organização das Nações Unidas (ONU) como melhor aplicativo de inclusão social do mundo. O software é gratuito para o usuário e pode ser usado em celulares, tablets, computadores e até em totens de informação. Hoje, contabiliza mais de 180 mil downloads, em todos os estados do Brasil, e cerca de 10 milhões de traduções.

Na categoria “Escolha do Leitor”, venceu o médico Hercilio da Luz Filho, 52. Ele fundou e preside a maior entidade filantrópica na área de nefrologia no Brasil, a Fundação Pró-Rim. A entidade recebeu 47% dos quase 65 mil votos dos internautas que participaram. Hercilio agradeceu a mobilização de toda a rede de contatos ligada à Fundação.

A entrega dos prêmios aconteceu em cerimônia para convidados no Museu de Arte de São Paulo (Masp), na capital paulista. Pela primeira vez em 10 anos, contou com a presença de Hilde Schwab, mentora da Fundação Schwab, realizadora do Empreendedor Social em dezenas de países. Em seu discurso, Hilde se disse honrada e feliz por participar de um momento tão importante de celebração e reconhecimento das iniciativas de brasileiros. “O papel desses líderes é o caminho para a transformação do mundo. E, sem dúvida, os empreendedores sociais representam uma das formas de melhorar a sociedade, tornando-a mais inclusiva e próspera”, observou. A premiação foi transmitida ao vivo pelo site da Folha de S.Paulo e pelo UOL, com acessibilidade para deficientes auditivos e visuais.

No Brasil, o Empreendedor Social conta com a parceria exclusiva da Folha de S.Paulo. Maria Cristina Frias, jornalista e colunista da Folha, subiu ao palco para saudar os presentes e destacar os detalhes desse trabalho. “Nestes dez anos, tivemos mais de 2 mil candidatos, e é muito gratificante ver como os vencedores se desenvolvem com o passar dos anos”. Ela citou o exemplo do Projeto CIES, do médico Roberto Kikawa, vencedor da edição 2010, ocasião em que fazia 500 atendimentos por mês. Hoje, são 84 mil atendimentos mensalmente.

© 2016 GVces - Coletivo Sustentável Suffusion theme by Sayontan Sinha