O Instituto Socioambiental está mapeando propostas para a construção de um futuro sustentável e seguro para a água em São Paulo, a partir da plataforma de participação política Cidade Democrática.

Todos podem preencher o questionário online, que leva cerca de 10 minutos para ser respondido:  http://www.surveygizmo.com/s3/1777835/aguas-SP

Até 4 de setembro!

Ricardo Barretto

 

Está na programação da Virada Sustentável, que acontece esta semana em São Paulo, o documentário “A Lei da Água”, que fala da importância da preservação dos ecossistemas para provisão de água e como isso se relaciona com o novo Código Florestal.

O filme tem exibição no dia 31 de agosto, no Auditório do Ibirapuera, às 17h.

Abaixo o convite e aqui um trailer do filme.

Natalia Lutti


 

O projeto Águas do Cerrado – O futuro em nossas mãos, tem como objetivo recuperar a área das duas principais fontes de água da população do Distrito Federal, as bacias do Lago Paranoá e do Rio São Bartolomeu. Ambas estão ameaçadas pelo ritmo de urbanização e degradação dos córregos locais.

Idealizado pelo Ipoema, o projeto também busca promover o uso sustentável da água, por meio da implementação, replicação e difusão de tecnologias sociais de permacultura, visando a uma melhoria efetiva da gestão e conservação dos recursos hídricos.

O site do projeto já está no ar para mais informações e é uma plataforma que se estabelece como canal de comunicação entre todos aqueles interessados em sustentabilidade e com o público impactado diretamente pela iniciativa.

Leeward Wang

 

 De 20 a 27 de março de 2014 os paulistanos poderão conferir longas, médias e curtas metragens focados na temática ambiental, oriundos de mais de 30 países, grande parte deles inéditos no Brasil.

Os filmes, classificados nas temáticas cidades, campo, economia, energia e povos e lugares, abordam questões como energia nuclear; o uso de animais como cobaias; organismos geneticamente modificados; urbanismo e a vida nas grandes cidades; extração de recursos naturais por grandes corporações e suas consequências para o meio ambiente e para comunidades; localidades remotas e a dificuldade cada vez mais premente de manter tradições junto às novas gerações que querem ganhar o mundo e frente aos dilemas impostos pelas transformações do meio ambiente.

“A Mostra entra em sua terceira edição se consolidando em São Paulo como espaço para conferir produções de várias partes do mundo que marcam presença inclusive em grandes festivais de cinema. Estes filmes, inéditos em sua maioria no Brasil, não entram em circuito depois, salvo algumas exceções. É uma oportunidade única de assistir a estas produções. É também um espaço para promover o debate e a reflexão sobre questões do nosso dia a dia,” diz Chico Guariba, diretor da 3ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental.

Os filmes serão exibidos em sete salas do circuito de cinema da cidade: Reserva Cultural, Cine Livraria Cultura, Museu da Imagem e do Som (MIS), Cine Olido, Centro Cultural São Paulo, Cinusp Maria Antônia e Matilha Cultural. Além das exibições dos filmes, a Mostra promoverá debates com vários realizadores de diferentes nacionalidades. Toda a programação é gratuita.

Este ano a Mostra traz ainda duas novidades – a premiação dos melhores filmes latino americanos e um circuito universitário, que levará filmes e debates a diferentes instituições de ensino. O GVces é parceiro neste circuito e fará uma exibição na FGV.

Serão premiados os melhores filmes escolhidos por uma comissão julgadora e também por voto popular. As cédulas de votação estarão disponíveis nos locais das sessões, durante o período de realização da Mostra.

Mais informações clique aqui
Para acessar a programação clique aqui.

 

Valorizar a natureza pode ser complexo, mas vital para o futuro.

Este infográfico elaborado pelo The Guardian ilustra os benefícios econômicos da madeira comparados àqueles ganhos com as árvores. Clique aqui e acesse-a em tamanho maior.

Leeward Andrade Wang

 

Uma nova plataforma online ajuda cientistas e especialistas em mudanças climáticas a calcular a quantidade de carbono florestal e a biomassa. O programa GlobAllomeTree foi criado por universidades na Itália e França para a FAO, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação.

No site GlobAllomeTree é possível lar dados para estratégias bioenergéticas incluindo volume, biomassa e estoques de carbono de florestas.

Amália Safatle, Página 22.

 

O Serviço Florestal da FDA mantém uma ferramenta online para cálculo da superfície das folhas das árvores de uma cidade, de modo a estabelecer o valor econômico que representam.

O I-Tree busca desse modo tornar disponível um serviço gratuito para análise florestal com foco nos benefícios dos serviços ecossistêmicos promovidos pelas árvores na cidade.

Acesse aqui

© 2016 GVces - Coletivo Sustentável Suffusion theme by Sayontan Sinha