A Edukatu é uma rede que promove o ensino sobre consumo consciente e sustentável entre as crianças, possibilitando e incentivando a troca de informações entre escolas de todo o Brasil.

Esta plataforma é dividida em três partes: “Na Mochila”, onde há vídeos, reportagens, atividades e materiais que disseminam informações sobre consumo; “Circuito”, que reúne games e jogos lúdicos; e “Rede”, que reúne alunos e professores para compartilhar experiências e informações, guiados por um mediador do Akatu.

A Edukatu é uma iniciativa do Instituto Akatu em parceria com a Braskem, Cargill e HP, e apoio do Ministério do Meio Ambiente e o Ministério da Educação.

Saiba mais

Leeward Wang, com informações do site Catraca Livre

 

O Portal Carbono Brasil publicou hoje uma análise de Sébastien Duyck, do Adapt a Negotiator, que sistematiza o posicionamento dos países e coalizões governamentais nas negociações recentes sobre o acordo climático global previsto para ser concluído em 2015. No caminho para esse entendimento, a próxima Conferência do Clima, a COP-19, que acontecerá a partir do próximo dia 11 em Varsóvia, será uma etapa importante para que negociadores consigam construir os consensos necessários.

Ao longo dos últimos meses, países e coalizões compartilharam expectativas sobre os resultados das negociações para o novo acordo. Isto foi feito através de submissões, que segundo a análise tem um papel especialmente particular nas negociações por causa do gap temporal entre o último encontro técnico, realizado em Bonn em junho passado, e a COP-19. Nesse contexto, as submissões oferecem um bom panorama dos rachas que podem ser esperados entre os negociadores em Varsóvia no mês que vem.

De acordo com a análise de Duyck, são quatro os pontos de desentendimento mais importantes no processo de negociação para 2015: a data de submissão dos compromissos nacionais, o papel da revisão dos compromissos internacionais, o grau de diferenciação entre os países, e o nível das obrigações incluídas no acordo de 2015.

Confira a análise na íntegra aqui (parte 1: países em desenvolvimento) e aqui (parte 2: países industrializados). Se quiser, leia a versão em inglês no site do projeto Adopt a Negotiator.

Bruno Toledo

 

Valorizar a natureza pode ser complexo, mas vital para o futuro.

Este infográfico elaborado pelo The Guardian ilustra os benefícios econômicos da madeira comparados àqueles ganhos com as árvores. Clique aqui e acesse-a em tamanho maior.

Leeward Andrade Wang

 

No último dia 23, o voo 1408 da GOL, um Boeing 737-800, decolou de São Paulo rumo a Brasília com 183 passageiros e abastecido com um combustível especial: biocombustível produzido a partir de uma mistura de ICO (óleo de milho não comestível) e OGR (óleo de cozinha reciclado). Este foi o primeiro voo comercial feito com biocombustível, um marco para a aviação brasileira em um dia que não poderia ser mais oportuno: o Dia do Aviador!

Saiba mais sobre esse importante momento do setor aéreo brasileiro aqui.

Beatriz Kiss

 

Com o objetivo de promover a capacitação profissional na área de conservação ambiental em níveis local e nacional, a Rede WWF criou a Bolsa Prince Bernhard voltado para estudantes e profissionais. O principal objetivo é prover suporte financeiro para treinamento de curto prazo ou estudos formais, para que o indivíduo possa contribuir de maneira mais eficiente com a conservação ambiental em seu próprio país.

A Bolsa Prince Bernhard privilegia candidatos atuantes em conservação da África, Ásia, Europa Central e Leste Europeu, Oriente Médio, América Latina e Caribe. Especialmente mulheres e candidatos que trabalhem em organizações não-governamentais (ONGs) são encorajados a se candidatar. A bolsa será concedida para cursos de curta duração, graduação, mestrado ou doutorado com término previsto entre 1º de julho de 2014 e 30 de junho de 2015.

O valor máximo concedido para cada bolsa é de 10.000 francos suíços (US$ 10.970). Este suporte financeiro deverá ser usado para pagar taxas do curso, custos de viagem e de subsistência durante o período. As inscrições para o próximo período de seleção da bolsa terminam em 11 de janeiro de 2014.

Para se candidatar e ter mais informações, acesse o site especial da WWF Brasil sobre a bolsa.

Leandro Gouveia

 

Este é um projeto muito bonito desenvolvido por alguns amigos que traz um olhar sobre modelos de educação e formação em 13 iniciativas mundo afora. O “Volta ao mundo em 13 escolas” foi todo co-criado por um um coletivo de entusiastas e financiado por crowndfunding, uma iniciativa muito inovadora!

Dá para fazer o download no site ou encomendar um exemplar :)

Maria Piza

 

Pela primeira vez, quatro mulheres são as finalistas do principal prêmio de empreendedorismo socioambiental da América Latina e um dos mais concorridos do mundo –o Empreendedor Social, realizado desde 2005 pela Folha em parceria com a Fundação Schwab, correalizadora do Fórum Econômico Mundial. Na disputa estão Alice Freitas (Asta), Merula Steagall (Abrale/Abrasta), Regina Vidigal (Arte Despertar) e Sylvia Guimarães (Vaga Lume).

Já no Prêmio Empreendedor Social de Futuro, iniciativa exclusiva da Folha para revelar jovens líderes transformadores, são seis finalistas ligados a três organizações: Alessandra Orofino/Miguel Lago (Meu Rio); Alexandre Amorim/Diego Moreira/Luiz Ribas (Asid) e Tony Marlon (Escola de Notícias).

Os vencedores das duas categorias serão eleitos por um júri de especialistas (veja quadro) a partir de critérios como perfil, inovação, sustentabilidade e impacto social, entre outros.

Eles serão revelados no dia 21 de novembro, em cerimônia no Masp (Museu de Arte de São Paulo), com transmissão ao vivo pelo site da Folha e pelo UOL, com acessibilidade para deficientes auditivos e visuais.

No evento será anunciado ainda o ganhador da categoria Escolha do Leitor, na qual o internauta é quem elege o projeto preferido, a partir de vídeos de 60 segundos gravados pelos finalistas e disponíveis a partir de hoje na Folha, no site Empreendedor Social, e no UOL.

Ajude a escolher o vencedor. Vote no Empreendedor Social 2013.

 

O Instituto Socioambiental (ISA) mantém uma plataforma virtual que monitora a situação das unidades de conservação espalhadas pelo território brasileiro.

Este sistema reúne informações gerais sobre cada unidade de conservação e gera mapas com diferentes recortes: unidades de conservação por bioma, por bacias hidrográficas, unidades próximas a zonas de calor, etc.

Hilton Ceccacci (GVces)

© 2016 GVces - Coletivo Sustentável Suffusion theme by Sayontan Sinha