Em tempos de lançamento do novo relatório do IPCC (saiba mais no Observatório do Clima) sobre as bases científicas da ciência climática, a Fundação das Nações Unidas, dedicada a articular iniciativas da ONU e de outras instituições e atores ao redor do mundo, lançou nesta semana o portal Climasphere.org, com notícias especializadas em mudanças climáticas.

Sua proposta é de apoiar a conscientização sobre as mudanças do clima através de notícias e informações, de uma forma clara e compreensível para todos. O Climasphere.org agrega dados e notícias dos principais veículos e organizações ao redor do mundo, além de hospedar blogs especializados e produzir infográficos sobre os diversos temas relacionados com o desafio climática.

Bruno Toledo

 

 
José e Fabiano Onça

José e Fabiano Onça (Imagem: Página22)

Os criadores do jogo “Celsius – o Desafio dos 2ºC”, Fabiano e José Onça, venceram a 32ª edição do “Concours de Jeux de Société de Boulogne-Billancourt”, o maior torneio de game design da Europa, promovido na semana passada em Paris.

A cada edição, até 200 criadores de jogos do mundo todo enviam suas criações para julgamento. A autoria dos jogos é mantida em anonimato para evitar qualquer tipo de apadrinhamento ou influência. A primeira bateria eliminatória seleciona 80 candidatos, que enviam seus protótipos para diversos testes de aplicação. Os dez finalistas são analisados por uma comissão internacional formada por membros da indústria de jogos na Alemanha, Espanha, França e outros, que finalmente escolhem quatro ganhadores – e nesse ano, o nosso jogo Shieldwall foi um dos vencedores do concurso. É a segunda vez que Fabiano e José Onça vencem este concurso em Paris.

No ano passado, a dupla criou o “Celsius” para a Plataforma Empresas pelo Clima (EPC), um jogo que propõe e incentiva a articulação de esforços corporativos em torno de iniciativas que reduzam as emissões de GEE, de forma a impedir o aumento da temperatura global em 2ºC, o índice apontado pelo IPCC como o limite para o aquecimento do planeta. O jogo é uma ferramenta inovadora para engajar profissionais e empresas em torno da problemática das mudanças do clima e da necessidade de atuação conjunta e articulada em prol de soluções para esse desafio. Saiba mais sobre o Celsius aqui.

Confira também o vídeo feito pela Revista Página22 sobre o jogo “Celsius – O Desafio dos 2ºC”

Fernanda Carreira

 

“If bees were to disappear from the globe, mankind would only have four years left to live”, Albert Einstein

Nos últimos quinze anos, diversas colônias de abelhas foram dizimadas em todo o mundo, mas as causas desse desastre permanecem desconhecidas. Dependendo da região do planeta, entre 50% e 90% de todas as abelhas locais desapareceram, e esta epidemia se espalha de colmeia em colmeia. Em todos os lugares, o mesmo cenário se repete: bilhões de abelhas deixam suas colmeias e nunca mais retornam. Nenhuma abelha morta é encontrada nos arredores, e nenhum predador visível pode ser identificado.

Esse desaparecimento tem impacto profundo nas dinâmicas da natureza: 80% das espécies de planta precisam de abelhas para serem polinizadas. Sem elas, não existe polinização, e frutas e vegetais poderão desaparecer da face do planeta.

De quem é a culpa dessa tragédia? Devemos culpar os pesticidas ou mesmo os medicamentos que usamos para combatê-las? Novos vírus? A multiplicação de ondas eletromagnéticas que acabam afetando as nanopartículas de magnetita nos abdômens das abelhas? Por ora, a resposta parece ser uma combinação de todos esses agentes afetando e enfraquecendo os sistemas imunológicos das abelhas.

Este é o pano de fundo do documentário “More than Honey“, dirigido pelo alemão Markus Imhoof. O filme aborda a relação simbiótica entre abelhas e seres humanos, algo que Einstein apontava há 50 anos, e investiga o impacto que o desaparecimento dessas espécies pode causar à humanidade, tanto na economia quanto na própria sobrevivência do Homem. Confira abaixo o trailer!

Ricardo Barretto

 

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) lançaram recentemente o relatório final da Consulta Temática sobre Sustentabilidade Ambiental na Agenda Pós-2015, realizada com o apoio dos governos da França e da Costa Rica.

O processo de consulta temática durou oito meses e envolveu universidades, centros de pensamento, representantes da sociedade civil, jovens, mulheres e homens do Norte e do Sul, que refletiram e dialogaram sobre os vínculos entre a sustentabilidade ambiental e o desenvolvimento humano. Um dos temas chave nas discussões foi a necessidade de que a agenda pós-2015 esteja baseada em princípios relacionados a enfoques integrados para o desenvolvimento, na igualdade, nos direitos humanos e na resiliência, a fim de integrar plenamente a sustentabilidade ambiental.

Este relatório é um exemplo muito eloquente do que está no radar dos grupos ligados ao tema da sustentabilidade e da agenda pós-2015 no âmbito das Nações Unidas.

Confira o relatório na biblioteca virtual do portal GVces.

Aron Belinky

 

A partir do dia 17, a Matilha Cultural dá início à 5ª edição do Setembro Verde, projeto multimídia colaborativo com foco em temas políticos e socioambientais para o debate público e programação gratuita relacionada às artes, intervenções de ruas, cinema e oficinas. A edição desse ano tem como foco a resistência indígena no Brasil e as dinâmicas entre tribos e redes.

Apesar do impacto devastador da colonização, há hoje no Brasil milhares de comunidades indígenas, pertencentes a mais de 230 povos, que falam cerca de 180 línguas, de acordo com o Instituto Socioambiental. Essas comunidades se espalham por quase todos os estados, no campo e na cidade. Essa diversidade cultural também incorpora os conhecimentos tradicionais indígenas. Esses povos são os maiores conhecedores de nossa imensa biodiversidade e, ao conservarem suas terras têm muito a nos ensinar sobre o uso sustentável dos ambientes naturais.

Por conta disso, o Setembro Verde quer reforçar a resistência indígena e sua luta pelo direito à terra. Todo o espaço da Matilha será ocupado de maneira que possa lembrar o importante momento político e a crescente ameaça aos direitos constitucionais dos povos indígenas.

Saiba mais

 

O Inventário Cultural dos Quilombos do Vale do Ribeira, lançado no último dia 23, mostra a riqueza e a diversidade dos bens culturais da cultura quilombola ainda desconhecida pela sociedade brasileira e pouco reconhecida pelos órgãos públicos.

Este projeto surgiu a partir da preocupação dos quilombolas do Vale do Ribeira contra a ameaça de construção de barragens no Rio Ribeira de Iguape. O levantamento evidenciou a riqueza e a diversidade dos bens culturais e a especificidade da cultura quilombola. O livro é um dos produtos resultantes desse processo. Também foram produzidos um vídeo e sete folders sobre diferentes grupos culturais quilombolas.

Saiba mais

Ricardo Barretto

 
Com informações da BM&FBOVESPA:
O número de empresas listadas na BM&FBOVESPA que publicam relatório de sustentabilidade ou documento similar ou explicam por que ainda não o fazem aumentou de 203 para 293 entre maio de 2012 e junho de 2013. Isso representa um crescimento de 45,31% para 66,29% na adesão das companhias à iniciativa Relate ou Explique, recomendação lançada pela Bolsa ao mercado em dezembro de 2011. As empresas que inseriram as informações no seu Formulário de Referência até junho deste ano integram o banco de dados atualizado.
O número das empresas que efetivamente publicam informações sociais, ambientais e de governança corporativa aumentou em 61, indo de 96 para 157, comprovando o crescente comprometimento e valorização da agenda de sustentabilidade pelas companhias de capital aberto.
Com o objetivo de dar mais visibilidade a este movimento das empresas brasileiras, pela primeira vez, a BM&FBOVESPA realizará divulgação segmentada dos resultados do Relate ou Explique para investidores nacionais e internacionais, também como forma de estimulá-los a valorizarem esta agenda junto às empresas de seu portfolio.
Já para contribuir com o avanço das companhias que não deram resposta à iniciativa ou que ainda não publicam informações não financeiras mas explicaram o motivo, a BM&FBOVESPA realizará no segundo semestre apresentações sobre sustentabilidade e workshops sobre como publicar estes dados, esta última iniciativa em parceira com a GRI (Global Reporting Initiative).
Os primeiros resultados do Relate ou Explique foram anunciados na Rio+20, em 2012. O objetivo da iniciativa é estimular as companhias a publicar relatório de sustentabilidade ou similar e disponibilizar este banco de dados de forma fácil e rápida no site da Bolsa para todos os stakeholders – especialmente investidores e analistas -, oferecendo maior transparência ao mercado.
Para visualizar o resultado do Relate ou Explique, basta acessar tabela no site da Bolsa que apresenta os links para os relatórios das empresas que publicam as informações, as explicações das companhias que ainda não têm esta prática e as empresas que não deram resposta.
Roberta Simonetti

© 2016 GVces - Coletivo Sustentável Suffusion theme by Sayontan Sinha